Paulo Tatit - músico e fundador da Palavra Cantada

pagseguro1.jpg

"Eu gostei muito do disco. Tive a oportunidade de ouvir numa viagem então fiquei ouvindo bastante... Eu gostei muito dessa coleção de ritmos brasileiros, dentro de uma abordagem, de um trabalho em cima daquilo, sabe? O uso daqueles ritmos, daquelas claves remotas que a gente tem na cabeça da gente, coisas de um Brasil bom, do Brasil criativo, do Brasil inventivo que criou essa rítmica absurda que só a gente tem, uma coisa de norte a sul, muito impressionante a quantidade de material que se tem pra trabalhar. Então eu gostei muito de ouvir e ver o potencial desse trabalho da Trupe Trupé!"

Professor Jader (Goiânia/GO)

Professora Regina (Santos/SP)

Professora Ana (Goiânia/GO)

Professora Andreia (Goiânia/GO)

Brincadeira, arte e cultura popular é o que define a formação de professores do grupo Trupe Trupé, porém eles transcendem o que entendemos por formação pela forma singular de transmitir conhecimentos fundamentados em pesquisas, pois cada fala, gesto, brincadeira, música... vem de dentro, de uma paixão e crença capaz de movimentar um grupo inteiro com corpo, alma e coração.  Com eles adentramos nosso Brasil em uma profundidade tal que realmente nos sentimos um só povo, resgatamos o pulsar interno que gerou essa linda nação brasileira e que ao longo dos anos temos perdido. Destravamos a nós mesmos, superamos limites e barreira internas, dançamos... e junto a tudo isso criamos de uma tal forma que nos sentimos coautores dessa linda ciranda popular a que se propõem. Reafirmo o que diz o título do curso "curso de transformação de professores", literalmente vi toda uma equipe sendo transformada, resgatada, imersa na Cultura Popular Brasileira de tal forma que o transmitir aos alunos estaria assegurado, pois ao longo do curso o conhecimento foi se dando de dentro pra fora, mediado por essa equipe linda e fundamentado tecnicamente pela nossa amiga e escritora Elaine Sleiman. Gratidão! Daniela de Souza Garcia Azevedo - diretora pedagógica da Escola Piaget - Goiânia.

Professora Daniela Azevedo (Goiânia/GO)

Quando surgiu o convite sobre um curso que ajudaria no processo de transformação de professores, fiquei curiosa, pois estava a algum tempo procurando algo que viesse de encontro á tudo aquilo que buscava aperfeiçoar na minha prática. Estava cansada de buscar resultados diferentes, fazendo sempre as mesmas coisas, mas por outro lado não sabia como fazer de outra maneira. Com o passar dos encontros, fui aprendendo sobre a importância de SER e FAZER, primeiramente temos que SER pesquisadores de nossa própria cultura, que é tão rica e através dela, trabalhar diversos temas dentro e fora da sala de aula. Com o decorrer dos encontros o FAZER fez a diferença, e se tornou prática, dentro do meu cotidiano escolar. A transformação veio de dentro para fora e quando aprendi a SENTIR através das experiências com arte, dança, teatro, brincadeiras, música e todas as trocas de experiência que vivenciamos no curso, mudei para sempre a minha maneira de educar. Hoje sei que uma aula começa muito antes de entrarmos na sala de aula, pois já começa a ser concebida na pesquisa, na ideia e interagir com o meio. Quando o curso terminou, eu sabia exatamente o que queria, fiz pós em Arte-Educação, fiz cursos de contação de história e musicalização Infantil, pois não quis parar de aprender mais, continuo em contato com os amigos que fiz para a vida, através dessa experiência maravilhosa, que tive no curso de transformação e a Trupe continua me inspirando a cada dia. Hoje estudo Artes Visuais e toda essa paixão que foi movida pela transformação que passei através dessa experiência que relato á vocês, faz de mim hoje uma pesquisadora das artes e cultura popular brasileira. Que venham mais trocas, mais cursos e mais amor pela profissão a cada dia. Obrigada amigos por mudarem minha vida profissional!

Flávia Neto (São Paulo/SP)

Estou gostando cada vez mais do curso pedagogia do encantamento. O módulo sobre Darcy Ribeiro foi algo precioso, para pensar sobre o Brasil que temos e o Brasil que queremos. 
Tem sido muito gratificante resgatar brincadeiras antigas e entender mais o contexto de cada uma delas. Somos seres lúdicos, não podemos nos esquecer disso.

Professora Danúbia Jorge (Goiânia/GO)

O Curso Pedagogia de Encantamento está sendo uma experiência inédita para mim, tendo em vista que a proposta é fazer com que busquemos o encantamento, recorrendo ao nosso passado, a nossa infância, as nossas raízes, ao nosso “quintal”. A troca que é feita ao longo dos vídeos e dos encontros traz à tona o quanto podemos aprender e experimentar novos olhares, perspectivas, formas de ver, pensar e entender o mundo em que estamos inseridos. Consequentemente, tudo o que aprendemos uns com os outros amplia nossa prática humana e profissional. 
          Muitas vezes, a formação continuada deixa a desejar no que se refere a considerar cada indivíduo como sujeito no mundo e com suas particularidades. Acredito que o encontro com várias histórias e trajetórias, como tem ocorrido durante o curso, é essencial para nos entendermos como pessoas, como profissionais. 
          A proposta de vivenciar as brincadeiras na prática têm sido muito interessante. Acredito que muitos profissionais entendem o “promover” a brincadeira, “promover” a leitura, “promover” a música, mas esses atos estão, com certeza, para além disso. O curso trouxe à tona que vivenciar as mais variadas práticas de maneira plena e intensa, como a proposta que envolve as brincadeiras, por exemplo, é um caminho para que nós possamos permitir que as crianças tenham uma vivência cheia daquilo que há de melhor: afeto, diversão, alegria, envolvimento e prazer.

Professora Jéssica Kelly (Goiânia/GO)

pagseguro1.jpg